#SaveTheCrew | A mobilização popular para que o Columbus Crew não saia de Ohio

crew_002

Entre 21 e 29 de novembro, o Columbus Crew vai disputar as semifinais da MLS Cup — os playoffs da Major League Soccer-MLS. Seus torcedores, que vêm ocupando, em média, 15.439 dos 19.968 lugares disponíveis no Mapfre Stadium, deveriam estar felizes. Mas estão preocupados. Porque esta pode ser a última temporada do Crew em Columbus.

Desde o último dia 16 (de outubro), sabe-se que o dono e presidente do Crew, Anthony Precourt, está disposto a transferir a franquia para Austin, no Texas. Uma cidade apaixonada por soccer, que já perdeu seu time, o Austin Aztex, duas vezes — primeiro em 2010, com a migração para Orlando (que deu origem ao Orlando City), e depois em 2015, quando o clube, reformulado, fechou após uma temporada na atual USL —, e, diferente de Columbus, tem sinal verde para a construção de um estádio central. Demanda e estrutura: um negócio perfeito.

crew_001

Mas o futebol é só um negócio? Nem a MLS acredita nisso. Tanto que, entre as suas exigências junto às franquias, está o envolvimento entre clube e comunidade. É possível que, após ter construído laços com Columbus durante 23 anos, o Crew simplesmente “saia de casa”? Sua torcida diz que não, e está (re)agindo. Desde que a informação da possível transferência vazou, teve início, nas redes sociais, estádios — inclusive dos times rivais — e nas ruas a campanha #SaveTheCrew.

A mobilização tem sido intensa. E já conquistou aliados de peso: os texanos fãs do San Antonio FC, que atua na USL sob o grupo Spurs Sports and Entertainment (o mesmo que contra o San Antonio Spurs, da NBA) e, desde o seu primeiro dia, tem como meta principal chegar à MLS.

Nos próximos dias, grupos de torcedores do Columbus Crew se reunirão com a presidência da MLS e o conselho regional de Austin. Uma luta popular na terra do footbusiness. Que, esperamos, seja vencida pelas arquibancadas. Por mais que essas migrações sejam comuns nos esportes dos EUA — e, como você leu mais acima, já tenham acontecido no próprio soccer —, chegou o momento de dar uma basta às “franquias itinerantes”. Pertencimento também faz parte do negócio. O Crew é de Columbus, e em Columbus deve ficar. Estamos juntos no #SaveTheCrew.

l

Thiago Zanetin tem 32 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na Europa.

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: Marketing