REBRAND | Reações das torcida sobre os novos logos de seus clubes

juventus-17-18-logo-5

A apresentação da nova identidade visual da Juventus, nesta semana, causou polêmica e gerou muito debate no mundo do futebol. Em um primeiro momento, entre os próprios torcedores da madama, a aceitação não foi das melhores — e os memes criados a partir da novidade, que “quebraram” a internet e ganharam as páginas dos principais jornais do mundo, não ajudaram em nada.

Mesmo entre a equipe FutMKT, o logo da Vecchia (ou nova?) Signora divide opiniões: há quem defenda, por evidenciar, em traços minimalistas, os 3 elementos que fazem parte do DNA da Juve — a letra “J”, o scudetto e as listras do uniforme; e há quem entenda como uma completa descaracterização. Pudera: ainda que não se trate de um emblema, como o próprio clube já frisou, o resultado rompe com a visão tradicional de futebol. Tanto que os juventini já se mobilizam nas redes sociais para que a Juve adeque seu novo logo a um molde de “escudo”, como na proposta abaixo:

16142735_1798500437066755_8224443699414000386_n

Este assunto ainda vai ganhar muita repercussão, seja no lançamento dos novos uniformes que irá gerar muita expectativa, nos números das vendas de camisas e produtos licenciados, no sucesso do time na temporada (afinal o que não falta no futebol é superstição) e vários outros fatores que irão se associar a esta logo.

Em cima dessa polêmica, fizemos uma seleção de Rebrands em clubes tracionais e como foi a aceitação da torcida.

– PSG | 2013

Na temporada em que voltou a vencer o título nacional, depois de 19 anos na fila, o clube francês apresentou uma modernização no seu escudo, a sétima em sua história. Em 2011 o clube foi comprado por investidores árabes e desde então já cogitavam esta mudança com o objetivo de fazer do PSG, uma das grandes marcas mundiais no esporte. O símbolo foi inspirado no legado de excelência de Paris e seus dois valores universais: ética e estética.

psg

Como esperado em qualquer mudança, o novo escudo do PSG também recebeu resistência por parte da torcida, mesmo não sendo alterações tão grandes. Nas redes sociais foi possível encontrar muitas críticas, mas a maioria aprovou, mesmo que com algumas considerações. O vídeo de apresentação foi bastante elogiado e com certeza ajudou nesta aceitação.

– AS Roma | 2013

Com o mesmo objetivo de uma maior internacionalização da marca, as principais alterações foram a retirada da sigla ASR, substituída pelo nome da cidade, Roma; a inserção da data de fundação do clube, 1927; troca da tipografia e um novo desenho da Lupa Capitolina. O clube não fez nenhuma comunicação especial para este lançamento, inserindo de forma “natural” em seus materiais e produtos. Atualmente esta é a décima logo desde o início da AS Roma.

946637_508886549172164_535343562_n

madein

Neste caso, também foi possível encontrar mais rejeição do que comemorações, na época em que foi lançado o novo escudo romanista.

– Manchester City | 2016

O clube inglês seguiu um caminho mais seguro para alterar seu escudo. Através de votação popular pela internet, envolvendo a torcida nessa escolha, os citizens fizeram o rebrand de seu símbolo, em cima do modelo vencedor, que sofreu apenas pequenas alterações no resultado final e apresentado no verão europeu do ano passado. Mas mesmo com a participação dos fãs e resgate de ícones históricos, como a rosa e o navio Macunian, o clube não se livrou de duras críticas por parte da torcida.

mancityNo período da revelação do novo escudo, foi possível encontrar muitos comentários dos que defendiam o antigo símbolo.

– Atlético de Madrid | 2016

Apresentado junto com o projeto do novo estádio, a campanha intitulada #HistoriaYFuturo revelou o novo logo do clube. O desenho do brasão perdeu as arestas e teve o topo arredondado, as listras ficaram mais grossas, o azul mais escuro e o urso com o medronheiro inverteram de “lado”.

nosetoca

Neste caso a torcida não aceitou muito bem o novo escudo. Através da hashtag #ElEscudoNoSeToca, os colchoneros estão demonstrando todo o descontentamento com as modificações, inclusive criaram uma petição online contra este rebrand, que já conta com mais de 11 mil assinaturas (a meta é de 15 mil).captura_de_pantalla_2016-12-12_a_las_2.34.24

captura_de_pantalla_2016-12-12_a_las_2.33.49

Para onde essa “tendência” vai levar? É muito difícil cravar algo. Com certeza o caso da Juventus será o mais emblemático por, de certa forma, romper com os padrões que estamos acostumados a ver no futebol, mas estes três casos apresentados mostram que por mais bonito, comercial e elegante que fiquem os novos escudos (ou logos), mexer com a paixão e tradição sempre encontrará barreiras e críticas por parte do público torcedor/consumidor. Nada que títulos e ídolos não possam fazer mudarem de ideia, concordam?

Imagens: Divulgação.

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter | instagram
Raphael Lavor é publicitário, fanático por futebol, colecionador de camisas e trabalha na Klefer Marketing Esportivo.

Category: Marketing