OPINIÃO | Mulher narrando futebol no rádio? Sim, por favor

isabelly002

Chama-se Isabelly Morais. É natural de Itamarandiba-MG. Está para completar o 5º período em Jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais-UFMG. Tem 20 anos. E ontem (7), tornou-se a primeira mulher da rádio mineira a narrar uma partida de futebol, no microfone da Inconfidência, de BH, onde estagia: América-MG 2×0 ABC-RN. Tudo em pleno Dia do (e agora, mais do que nunca, da) Radialista.

Foram os primeiros gritos de gol que Isabelly soltou no dial. Que ecoaram as vozes de outras profissionais do jornalismo esportivo, de dentro e fora de Minas Gerais, de outros tempos e dos atuais. Mas que ainda são poucas. E que podem fazer a diferença para incluir as mulheres no futebol. Estamos falando de representatividade.

Se as mulheres tiverem a oportunidade se ver em destaque no futebol — jogando ou treinando, como repórteres, colunistas ou narradoras, enfim, da maneira que for —, tendem a criar uma percepção positiva: “Ah, isso é para mim.” E quando ouvimos Isabelly comandar uma jornada boleira em Belo Horizoente (uma das maiores capitais-mercado do país), num veículo democrático e sinônimo de futebol (o rádio — que tem seu alcance expandido ao infinito pela internet), projeta-se, mais do que uma voz, uma imagem às pessoas: “Sim, isso também é para as mulheres.”

Já deu de “camisa rosa versão feminina”, de “mulher na arquibancada embelza o estádio” e congêneres. Passamos dessa época. Precisamos de afirmação e efetividade. Precisamos das mulheres no jogo (lembra que há apenas cinco anos 25,2% delas se declarava sem time?), para que elas possam estar de verdade nos planos de marketing, nas receitas e no crescimento dos clubes— e, CBF permitindo, da modalidade como um todo.

isabelly

É óbvio que puxar esse trem todo não é função exclusiva de Isabelly, que está começando. Mas ouvi-la narrando e conferir a repercussão positiva no dia seguinte foram ótimos sinais. Quem vai ser a próxima? Quando? Voz para a mulher no futebol, sim.

l

Thiago Zanetin tem 32 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na Europa.

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: ColunasMarketing