Nem o título da #UEL igualará os ganhos que o Atlético de Madrid já teve na #UCL

atleti

Duas notícias, uma boa e outra ruim, sobre o “rebaixamento” do Atlético de Madrid da fase de grupos da UEFA Champions League para os mata-matas UEFA Europa League. A boa: na última vez que isso aconteceu, em 2009-10, o clube foi campeão. E a má: nem um eventual título na UEL compensará o quanto os conchoneros poderia ter ganhado se seguissem na UCL.

Logo de cara, o Atlético de Madrid deixa de ganhar € 5,5 milhões, que representam a diferença entre os € 6 milhões pagos pela participação nas oitavas da UCL e os € 500 mil que o clube receberá pela estreia nos 16-avos de final da UEL. E esse déficit de premiações não será amenizado nem em caso de título. Se ganhar a Europa League, os colchoneros levarão, no máximo € 10,25 milhões (sendo: € 500 mil pelos 16-avos de final; € 750 mil pelas oitavas; € 1 milhão pelas quartas; € 1,5 milhão pela semifinal; e € 6,5 milhões pela taça). Bem abaixo dos € 16,2 milhões que o clube já garantiu em seis jogos pela UCL — € 12,7 milhões pela presença na fase de grupos, € 1,5 milhão por sua única vitória e outros € 2 milhões por seus quatro empates.

Se apenas tivesse chegado às quartas de final da Champions (€ 6 milhões + € 6,5 milhões), o Atlético de Madrid já teria ganho, em quatro jogos, mais do que poderá ganhar erguendo a UEL. Mais um cenário? Então, suponhamos que a taça vá para o Wanda Metropolitano; mesmo somando sua premiação (€ 10,25 milhões) aos € 4 milhões de uma eventual vitória na UEFA Super Cup, o clube não atingiria os € 16,2 milhões que consolidou na UCL. E olha que essas simulações não consideram a queda de € 507 milhões para € 160 milhões no market pool entre as duas competições.

atleti_ABRE

Que esses números possam deixar as contras do Atlético de Madrid vermelhas no final de 2017-18? Não acreditamos. Mas as receitas do clube, que cresceram 62% nas últimas cinco temporadas, certamente irão se retrair — a não ser que a empolgação com o novíssimo estádio Wanda Metropolitano (que, como tudo em futebol, é guiada pelo desempenho dentro de campo) cresça ainda mais. Balde d’água fria.

l

Thiago Zanetin tem 32 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na Europa.

Imagem: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: Marketing