MKT DE PROVÍNCIA | Villarreal rebatizou estádio e fechou “naming rights coletivo” com empresas locais

villa-1

A busca pela internacionalização é imprescindível — afinal, o futebol é, há bastante tempo, um esporte, e um negócio, global. Mas o envolvimento local faz parte do jogo. É nos entornos de um clube que encontramos a sua primeira e mais fiel base de apoio, nas arquibancadas e também nos negócios. E quem nos dá a enésima prova desse conceito é o Villarreal. Buscando maior envolvimento com cultura de sua cidade, o sumarino amarillo mudou o nome de seu estádio para homenagear (e associar a sua marca a) o principal produto da região de Castilla y León: sai “El Madrigal” e entra o “Estadio de la Cerámica”.

A ativação aconteceu ontem (8), antes da partida contra o Barcelona, pela LaLiga Santander. De frente para o Fondo Sur da casa amarilla, mais de 6 mil pessoas assistiram a um documentário sobre a história do estádio (acima); contemplaram, graças a um novo sistema de iluminação LED, a fachada completamente revestida em cerâmica; e conheceram as empresas parceiras desse projeto — todas castellonesas: Porcelanosa, PAMESA, Argenta, TAU, Bestille, Colorobbia e Grupo Elsmalglass-Itaca. Juntas, elas respondem por cerca de 30% da produção azulejeira da região.

villa-2

Além de aparecerem junto ao nome do estádio (note-se: o nome não é de nenhuma delas, mas, sim, da Cerámica, o produto da região), essas empresas terão exposição em diversos outros setores — arquibancadas, camarotes, placas de campo etc. De cara, esse projeto já entregou € 3 milhões ao caixa do Villarreal. E o clube estima que pode render até € 8 milhões, com base no desenvolvimento de novas parcerias de negócios junto ao setor azulejeiro de Castilla y León; e também nas campanhas dentro de campo — afinal, aparecer em destaque para todo o mundo, via LaLiga Santander e competições europeias vale mais.

villa-3

villa-4

Imagem: Divulgação.

Category: Marketing