FUTEBOL POPULAR | 10 clubes administrados por torcedores para você acompanhar em 2017

000

FutMKT é um dos poucos sites do País (aliás, provavelmente o único) em que você pode ler sobre clubes de futebol popular, nos quais a torcida, além de fazer marketing, assume o controle administrativo. Acreditamos — e o próprio esporte nos mostra — que esse conceito já passou de tendência a realidade, e crescerá ainda mais. Por isso, sugerimos abaixo dez clubes para você acompanhar e se familiarizar com o poder que emana das arquibancadas ao longo desse ano. Vamos nessa?

l

PORTSMOUTH FC
Inglaterra

001-portsmouth

Praticamente falido, em concordata. Institucionalmente abandonado. O Portsmouth estava nas últimas quando foi adquirido pela associação de torcedores Pompey Supporters Trust-PST, em 2013. Não chegaram a tempo de evitar a queda para a Sky Bet EFL 2 (Quarta Divisão), mas já trouxeram a propriedade do estádio Fratton Park. Mais 18 meses, e a concordata (quase £ 7 milhões) seria zerada, ao mesmo tempo em que, via financiamento popular, o clube levantaria os recursos necessários para a construção do seu primeiro CT. Para o pompey, falta apenas um acesso em campo — que, quem sabe, pode sair ainda nesta temporada.

l

AFC WIMBLEDON
Inglaterra

O AFC Wimbledon nasceu em 2002, como resposta dos torcedores à mudança do velho Wimbledon FC para o distrito londrino de Milton Keynes — o que deu origem ao MK Dons. Em apenas nove anos, saiu da Sétima Divisão para o futebol profissional e, na última temporada, subiu para a Sky Bet EFL 1 (Terceirona). Em junho do ano passado, o clube vendeu o seu estádio, Kigsmeadow, para o Chelsea; e, com o dinheiro, está financiando o retorno para a sua verdadeira casa: Plough Lane — onde o já citado Wimbledon FC passou grande parte da sua vida.

l

UNITED OF MANCHESTER
Inglaterra

003-united-of-manchester

“Não vai durar até o Natal”, decretou Sir Alex Ferguson quando, no meio de 2005, torcedores dissidentes do Manchester United decidiram protestar contra a venda do seu clube ao americano Malcolm Glazer formando outra agremiação: o United of Manchester. Bem, Ferggie se enganou. 12 anos, alguns acessos e um estádio próprio depois, os red rebels mantêm-se como os primeiros propositores do futebol popular inglês. Atualmente, passam por um redimensionamento financeiro, o que deve atrasar um pouco os planos de chegar à Conferece (Quinta Divisão) e, consequentemente, ao profissionalismo. Mas não descartamos um futuro dérbi contra o Manchester City, ou mesmo um jogo de espelhos contra o United, na The Emirates FA Cup.

l

WREXHAM FC
País de Gales

wrexham 001

Terceiro clube mais antigo em atividade no futebol mundial, o Wrexham esteve perto de desaparecer em dezembro de 2011, afundado em um passivo operacional de £ 400 mil — uma fortuna para um clube que compete na Conference (Quinta Divisão) inglesa. Foi quando a associação de torcedores Wrexham Supporters Trust-WST assumiu o comando. Dois anos depois, o primeiro “milagre”: dívida zerada. Mais um ano e os dragons registrariam seu primeiro balanço no azul em 15 anos. E, em 2016, a Supporters Trust obteve a concessão do estádio Racecourse Ground pelos próximos 99 anos — ou seja, previsibilidade de receita. Não nos surpreenderíamos em ver o Wrexham de volta ao profissionalismo nas próximas temporadas.

l

CS LEBOWSKI
Itália

lebowski-001

Provavelmente o primeiro clube italiano a ser adquirido e gerido pela própria torcida. Com uma história que parece saída de um filme-B (relembre), o Centro Storico Lebowski se tornou uma inspiração para projetos similares na Itália — onde o futebol popular cresce vertiginosamente — e em toda a Europa. Atualmente, disputa a Prima Categoria de Florença (elite provinciana, Sétima Divisão geral) e sonha com um estádio próprio.

l

IDEALE BARI
Itália

007-ideale-bari

Em 2012, quando a histórica AC Bari dava os primeiros sinais da falência que enfrentaria pouco tempo depois (e da qual, felizmente, recuperaria-se), um grupo de torcedores locais resolveu ressuscitar a Ideale Bari — o primeiro clube de futebol da cidade. 100% financiada por acionariado popular e sem qualquer escopo financeiro formal (ou seja, ninguém recebe salário), a Ideale começou a competir em 2014-15, e precisou de apenas mais um campeonato para vencer o torneio provinciano de Terza Categoria. Mais do que um time, um conceito de futebol colaborativo.

l

AUSTRIA SALZBURG
Áustria

006-austria-salzburg

Antes de ser adquirido pela Red Bull, em 2005, o velho SV Salzburg (atual Red Bull Salzburg) já havia carregado outras marcas de patrocinadores em seu nome; porém, a falta de abertura popular da empresa dos touros vermelhos (problema que hoje atinge o ápice em Leipzig, na Alemanha) desagradou aos torcedores mais fervorosos, que, no mesmo ano, reagiram criando outro clube: o SV Austria Salzburg. Após o começo nas ligas amadoras, o “novo velho” Salzburg atualmente disputa a Terceirona do país — caiu da Segundona na temporada passada. Recentemente, passou por turbulências financeiras, recebendo ajuda não só de seus seguidores, que organizaram uma grande campanha de crowdfunding, como de outros clubes — caso, por exemplo, do 1. FC Union, de Berlim, que se ofereceu para um amistoso e doou toda a bilheteria aos austrianer.

l

UNIONISTAS DE SALAMANCA
Espanha

009-unionistas

Morre um clube histórico, nasce uma nova história. Inconformados com a falência e extinção do velho UD Salamanca, em 2013, um grupo de torcedores salamantinos criou, no ano seguinte, o Unionistas de Salamanca. Em duas temporadas, o novo clube conquistou dois títulos — o Provincial de Salamanca e o Regional de Castilla y León — e, em 2016-17, faz sua primeira temporada entre os profissionais da Espanha, na Tercera División (que, no sistema de lá, equivale à Quartona). Gerido por mais de 2 mil sócios, é o community club espanhol que mais longe chegou até aqui.

l

XEREZ DEPORTIVO
Espanha

008-xerez

Fundado por torcedores em 2013, logo após o antigo Xerez CD, já em estado terminal, ter sido rebaixado à Quarta Divisão, o Xerez Deportivo FC começou a competir em 2014-15. Onde? No último degrau do campeonato provinciano da Andaluzia — equivalente à Oitava Divisão. Uma estreia e tanto: 4.102 sócios-proprietários, quase 6 mil carnês vendidos (recorde no futebol não-profissional espanhol) e título. Nas duas temporadas seguintes, os jerecistas também seriam campeões, chegando à División de Honor andaluz, onde buscam o acesso ao profissionalismo. Atualmente, o Xerez Deportivo é gerido por 3.300 sócios. É a maior organização do futebol popular na Espanha.

l

MOTHERWELL FC
Escócia

010-motherwell

£ 10,00 por mês, durante dois anos. Foi assim que a Well Society, associação de torcedores do Motherwell Fc, conseguiu atrair mais de 2.000 membros para financiar sua entrada na administração do clube, no ano passado. Para, quase imediatamente, receber da antiga sociedade 76% das ações. Sem rusgas ou rupturas. Estamos curiosos para saber como o clube se manterá a partir de agora na Scottish Premier League-SPL.

l

Thiago Zanetin tem 31 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na Serie A e na Europa.

Imagens: Ian McLean (1); Desconhecido (demais).

Category: Marketing