Balanço de 2016-17 e perspectivas atuais deixam Barça mais perto de meta bilionária

barca_3

O Barcelona pretende ultrapassar € 1 bilhão em receitas até o exercício de 2020-21. E, pelo balanço da última temporada a meta parece muito bem encaminhada. Em 2016-17, os culés faturaram estratosféricos € 708 milhões — seu novo recorde, que é 4,3% maior do que o resultado anterior.

barca_2

As fontes de arrecadação do Barça, sabemos, são diversas — matchday elevadíssimo, cotas fartas de TV (na LaLiga Santander e no market pool da UEFA), departamento comercial com atuação global, patrocínios regionais, monetização da sua grande presença em mídias sociais, prêmios por conquistas, etc. O grande triunfo desse exercício, porém, está nas janelas de transferência; mas especificamente na venda do goleiro Claudio Bravo ao Manchester City, base dos quase € 45 milhões de lucro do clube no mercado boleiro, que foram fundamentais para registrar uma diminuição de € 24,5 milhões nas dividas e, consequentemente, um lucro de € 18 milhões (que, embora seja € 11 milhões menor do que o de 2015-16, comprova a viabilidade da operação).

barca_4

Grandes números? Excelente. E as perspectivas financeiras do Barcelona são ainda mais animadoras. Por quatro motivos:

1. NIKE: além de garantir o maior contrato de fornecimento esportivo do mundo na última renovação (€ 85 milhões em 2017-18 + € 105 milhões anuais até 2027-28, fora bônus por resultados esportivos), o Barça maior porcentagem de royalties nas vendas de seus uniformes de treino, jogo e viagem assinados pela swoosh — 48% no primeiro ano e 50% nos seguintes.

2. AUTONOMIA COMERCIAL: Na pista de sua renovação com a Nike, o Barça reassumiu o controle da sua rede de lojas e i>e-commerce FCBotiga e da sua gestão de licenciamentos a partir de 2018-19 — que, como “teaser” já gerou uma coleção retrô, assinada pela COPA Football;

3. RAKUTEN: € 55 milhões fixos e bônus por desempenho de até € 5 milhões, que resultam no maior patrocínio máster de camisa do futebol mundial; e

4. LA MASIA: o acesso do time-B à Segundona dá ao Barça um “extra” em cotas de TV da Liga Espanhola e evidenciam ainda mais os talentos da academia culé país e Europa afora, facilitando eventuais negociações.

barca_1

Como vemos, há “um bilhão de motivos” para acreditarmos que, sim, o Barcelona vai ultrapassar sua meta de € 1 bilhão em receitas num só exercício. E, caso o campo “ajude” — principalmente na UCL — não duvidamos que isso se dará ainda antes de 2020-21.

l

Thiago Zanetin tem 31 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na Europa.

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter

Category: Marketing