5 Razões para começar a acompanhar a MLS em 2017

Sounders-1

Já falamos muitas vezes sobre a Major League Soccer-MLS, a liga de elite do futebol dos EUA. E sabemos que ainda há uma certa resistência por parte da boleirada em acompanhá-la. Por isso, listamos aqueles que, em nossa visão, são os cinco principais motivos para você dar uma chance ao futebol do Uncle Sam em 2017. Let’s go?

l

1. Entrada do Atlanta United FC

tatamartinophotoshoot_09162016-07

Em 2017, a MLS contará com duas novas franquias: o Atlanta United FC (filiada ao Atlanta Falcons, da National Football League-NFL) e o Minnesota United — que “subiu” da, por enquanto, Segundona North American Soccer League-NASL. E ainda que o pós-nome seja o mesmo, o Atlanta vem investindo bem mais para estrear com tudo.

O AUFC será comandado pelo argentino Tata Martino (ex-Newell’s Old Boys, Barcelona e seleção hermana) e contratou bons nomes do futebol sul-americano, como o goleiro Brad Guzan (ex- Middlesbrough), o meia paraguaio Miguel Almirón (ex-Lanús) e o atacante argentino Hector Villalba (ex-San Lorenzo) — além de outro homem de frente, Kenwyne Jones (ex- Sunderland).

O Atlanta também desembolsou US$ 1,4 bilhão na construção do seu estádio, que deve ser inaugurado até junho. E o retorno já está vindo: primeiro pelo naming rights junto ao grupo Mercedez-Benz, que batizou o local como Mercedes-Benz Stadium; e, segundo, porque, apenas com vendas de season tickets, o clube já garantiu que mais de 27 mil dos quase 75 mil assentos estarão ocupados.

l

2. Jogadores

pirlo_aug13

Para começar, esqueça aquela história de que “a MLS é uma liga de veteranos e refugos”. Em 2017, a média de idade ficará abaixo dos 28 anos. Mais: assim como a China Super League-CSL (mas em proporções diferentes, é claro), a MLS vem “incomodando” tanto os clubes europeus que até a FIFA já discute aplicar um salary cap para clubes de fora do Velho Mundo.

Atualmente a MLS conta com os seguintes ídolos globais: David Villa e Pirlo (New York City FC); Dempsey (Seattle Sounders); Giovani dos Santos (LA Galaxy); e Kaká (Orlando City). Drogba, que teve grande sucesso no Montreal Impact, e Donovan — ídolo máximo do futebol nos EUA, que teve um grande comeback em 2016 — negociam e, quem sabe, poderão permanecer na liga.

Outros grandes nomes são: Laurent Ciman e Piatti (Montreal Impact); Bradley Wright-Phillips (NY Red Bulls); Nocerino e Larin (Orlando City); Lodeiro e Jordan Morris (Seattle Sounders); Tim Howard (Colorado Rapids); e Giovinco (Toronto FC) — que recebeu, e recusou, uma proposta do Barcelona.

l

3. Novos estádios

15977498_10154372061741925_7815389723148484486_n

Em 2016, a MLS registrou a sexta maior média de público entre os campeonatos nacionais de todo o mundo: 21.692 torcedores em cada um de seus 330 jogos. A taxa de ocupação chegou a 95%. E com os novos estádios dessa temporada, acreditamos que esses números serão, no mínimo, mantidos.

Um dos principais projetos é o do Orlando City, que irá inaugurar, já em fevereiro, o seu Orlando City Stadium. O local terá capacidade para 25,5 mil torcedores e, só com a venda de season tickets, já garantiu 70,5% das arquibancadas preenchidas. Mais do que empolgação, esse resultado vem da certeza de que a grande experiência de matchday do já velho Citrus Bowl será mantida (estivemos lá, lembra?).

united

Como já dissemos mais acima, o Atlanta United também terá sua casa própria — e cheia. É um projeto grandioso: os 75 mil lugares do Mercedes-Benz Stadium representam uma lotação maior do que o Maracanã ou qualquer estádio brasileiro, e contará com diferenciais tecnológicos como um teto teto retrátil inspirado no Panteão de Roma, que ficará aberto ou fechado de acordo com as condições climáticas.

E fica, ainda a expectativa para 2018, quando serão concluídas as obras dos novos estádios de DC United e Minnesota United, além da inclusão do Bank of California Stadium, casa do futuro debutante Los Angeles FC (que tem em Magic Johnson um de seus proprietários).

l

4. Torcidas

ss2

Se você acha a maioria das torcidas europeias chatas e prefere as latinas, saiba que os americanos seguem mais o nosso estilo de torcer, em muito pela influência dos imigrantes. A grande atração das arquibancadas é a torcida do Seattle Sounders, campeoníssima de público na MLS e considerada uma das mais fanáticas do mundo, que, no ano passado, pôde comemorar o título da liga pela primeira vez.

Outras torcidas que se destacam e fazem belas festas são as de: Portland Timbers, arquirrival rival do Sounders; DC United, com vários cânticos em espanhol dos seus barra bravas; Philadelphia Union, grande responsável por levar o clube à MLS (história contada no documentário Sons of Ben, que indicamos); e Orlando City, que tem média de público superior a 30 mil torcedores e transforma o estádio num caldeirão, com a Ruckus e a Iron Lion Firm.

l

5. Ótimo conteúdo
nas redes sociais

Stunners! The best 2016 goal for each club.

Um vídeo publicado por Major League Soccer (@mls) em

Além de serem craques em produzir entretenimento nas grandes ligas esportivas, os americanos também sabem criar ótimos conteúdos para abastecer e interagir com os fãs, transformando-os em reais consumidores. Além de muitas atualizações sobre a competição, os perfis da MLS no Facebook, Twitter e Instagram oferecem gols, belas fotos e ótimas edições de lances dos jogos. No site, é possível encontrar todas as informações sobre times, ingressos, conferências, top players e eventos relacionados à liga.

 

 

Pode confiar em FutMKT: você vai se surpreender com a MLS. Aqui no Brasil, é possível acompanhar por SporTV e ESPN. E se estiver pelos EUA, vá a uma partida. Good soccer for you.

Imagens: Divulgação.

l

Siga o Futebol Marketing nas redes sociais: facebook | twitter | instagram

l

Raphael Lavor é publicitário, fanático por futebol, colecionador de camisas e trabalha na Klefer Marketing Esportivo.

Category: Marketing