Usain Bolt treinando com o BVB? É marketing sim. E dos bons

usain-bolt

Foi a notícia que agitou o final o último domingo (ontem, 13): o velocista jamaicano Usain Bolt, multicampeão e recordista olímpico, vai treinar com o Borussia Dortmund. Segundo o diretor-executivo aurinegro, Hans-Joachim Watzke, em declaração ao jornal alemão Kicker, o acerto “não é uma piada” nem “uma jogada de marketing”.

puma-2

Por partes. Certamente não é piada. Porque Bolt é boleiraço: torce pelo Manchester United, já declarou que gostaria de trocar as pistas pelos gramados e até se coloca à disposição da Jamaica para convocações. Agora, claro que é marketing. Afinal, Bolt e BVB são ligados pela PUMA, que tanto patrocina primeiro como é fornecedora esportiva e acionista do segundo.

Estamos falando, portanto, de uma ação comercial, como deu a entender o próprio Hans-Joachim Watzke: “Isso foi decidido há algum tempo junto a Bjorn Gulden, CEO da PUMA.” E quando o encontro aconteceria? “Certamente não durante uma semana de Champions’ League, mas, talvez, numa pré-temporada. Nosso técnico, Thomas Tuchel, gostou da ideia. Não é um problema para nós. É uma honra.”

puma3

É uma ação perfeita para o Borussia Dortmund. Além de ser admirado por fãs de todos os esportes, Usain Bolt tem histórico boleiro, com constante presença em campanhas e promoções. Vamos relembrar três exemplos?

1. Em 2010, Bolt tabelou com Samuel Eto’o no lançamento da PUMA V1.10 SL Lightning,
a “chuteira mais leve do mundo”.

2. Em 2012, Bolt ditou o speed do então último modelo da chuteira PUMA evoSPEED.

3. Em 2013, Bolt ativou um Manchester Derby desafiando Sergio Agüero.

bolt

Agora, multipliquemos isso, esse histórico boleiro de Bolt, pela estrutura profissional do BVB. Quanto valem ingressos para um amistoso de pré-temporada com o jamaicano? Quantas ações de conteúdo (on e off-line) sua presença em treinamentos e jogos pode gerar? Quantos produtos — camisas, chuteiras etc — podem ser gerados ou licenciados a partir dele? Bolt pode se tornar um embaixador do clube na Jamaica e abrir portas na América Central? Tudo é possível e deve ser considerado. Mas, antes, é preciso acontecer. Tomara que dê certo. Seria um case imediato.

Thiago Zanetin tem 31 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na Serie A e na Europa.

Imagens: Divulgação.

Category: Marketing