Números mostram que a Copa do Nordeste precisa voltar a ser sucesso nos estádios

0 clubes com 1 missão: trazer o nordestino de volta às arquibancadas.
0 clubes com 1 missão: trazer o nordestino de volta às arquibancadas.

Ontem (4), foi realizado o sorteio dos grupos da Copa do Nordeste 2017. Como media partner oficial, o Esporte Interativo concentrará a maioria absoluta das transmissões. E com a chegada de seus canais à grande da operadora Sky — complementado as inclusões nos pacotes de NET e Claro –, o torneio deverá, no mínimo, manter a audiência global de 16,8 milhões de pessoas conquistada neste ano no mercado de assinatura. A TV vai bem, certo? Então, vamos falar do que não vai tão bem assim: as arquibancadas.

Torcida do Santa Cruz presente no jogo do título, em Campina Grande: casa cheia foi exceção.
Torcida do Santa Cruz presente no jogo do título, em Campina Grande: casa cheia foi exceção.

Em 2016, ano em que se tornou mais rica (em muito, graças à valorização de 33% da cota de TV), a Copa do Nordeste registrou seu menor público médio desde que a competição voltou ao calendário oficial da CBF, em 2013. Mais: a média dessa edição “reinaugural” ainda não foi igualada, como você verá abaixo:

COPA DO NORDESTE — MÉDIA DE PÚBLICO 2013-16
2013: 8.487 (62 jogos — 1 com portões fechados)
2014: 7.602 (62 jogos — 1 com portões fechados)
2015: 7.818 (74 jogos — 1 com portões fechados)
2016: 5.873 (74 jogos — 0 com portões fechados)

O cenário de 2016 fica ainda mais nítido se compararmos as médias dos campeões de público desses quatro anos — curiosamente, todas vêm do Ceará. Além de, pela primeira vez, o clube mais popular do Nordestão ter levado menos do que 20 mil pessoas aos seus jogos, esse índice despencou em mais de 60%:

COPA DO NORDESTE — CAMPEÕES DE PÚBLICO 2013-16
2013: Ceará-CE — 23.552 torcedores
2014: Ceará-CE — 20.283 torcedores
2015: Ceará-CE — 24.282 torcedores
2016: Fortaleza-CE — 10.398 torcedores

América de Natal levou mais gente no Rio Grande do Norte, único estado a aumentar seu público de 2015 para 2016.
América de Natal levou mais gente no Rio Grande do Norte, único estado a aumentar seu público em 2016.

Essa queda acentuada de 2015 para 2016, porém, não foi um problema exclusivo do futebol cearense. Dos nove estados presentes na Copa do Nordeste 2016, apenas o Rio Grande do Norte registrou aumento no seu total de torcedores:

COPA DO NORDESTE — PÚBLICO POR ESTADO: 2015 x 2016
Ceará: de 22.055 para 9.778
Paraíba: de 7.577 para 5.775
Pernambuco: de 6.307 para 5.544
Rio Grande do Norte: de 1.730 para 2.210
Bahia: de 10.552 para 2.025
Maranhão: de 3.090 para 1.933
Sergipe: de 3.096 para 1.905
Piauí: de 3.003 para 1.701
Alagoas: de 2.348 para 1.512

Fundo uniforme: falta de público prejudicou faturamento geral do Nordestão.
Fundo uniforme: falta de público prejudicou faturamento geral do Nordestão.

Tudo isso mostra porque a média de púbico da Copa do Nordeste 2016 foi 23% menor em relação a 2015, representando a mais drástica queda de público do quadriênio. E, atoo contínuo, a receita de bilheteria do último Nordestão não foi apenas a mais baixa da nova era, mas a menor entre todas as suas edições:

COPA DO NORDESTE — BILHETERIA 2013-16
2013: R$ 7.577.603
2014: R$ 8.436.174
2015: R$ 11.129.796
2016: R$ 6.591.986

Consequência imediata: mesmo com o aumento da cota de TV (de R$ 11,140 milhões para R$ 14,82 milhões) e do volume de negócios em torno da competição (de R$ 4 milhões para R$ 4,5 milhões), essa baixa resposta das arquibancadas fez a movimentação financeira da Copa do Nordeste regredir pela primeira vez:

COPA DO NORDESTE — ARRECADAÇÕES FINAIS 2013-16
2013: R$ 16.177,603
2014: R$ 21.936.174
2015: R$ 26.269.796
2016: R$ 25.911.986

copa-ne

Como vemos, torcedor na arquibancada faz diferença. E o torcedor do Nordeste, em particular, é uma marca que precisa ser conservada. Foi esse torcedor que popularizou a Copa do Nordeste ao batizá-la de “Lampions League” — a Champions League do Nordestão. Foi o interesse desse torcedor que atraiu e atrai patrocinadores. Foi no potencial desse torcedor que o Esporte Interativo apostou, e aposta cada vez mais. Foi a presença desse toorcedor nos estádio que fez do Nordestão torneio um regional de repercussão nacional, contrastando com os públicos decadentes dos campeonatos estaduais Brasil afora. E agora, esse mesmo torcedor mostra que é preciso fazer ajustes, para que ele seja reincluído no espetáculo. Que a Liga do Nordeste considere esses dados com cuidado. O maior ativo da Copa do Nordeste é o nordestino.

Thiago Zanetin tem 31 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na Serie A e na Europa.

Com informações de: Cassio Zirpoli/Diário de Pernambuco. Imagens: Divulgação.

Category: Marketing