NASL | Por falta de público, Fort Lauderdale Strikers mudou de casa

ftl 2

Há pouco mais de um ano, falamos que, embalado pela chegada de Ronaldo Fenômeno entre seus acionistas (e por outros bons motivos), o Fort Lauderdale Strikers experimentava um grande aumento de público na North American Soccer League-NASL, – a Segundona dos EUA –, chegando a dobrar sua última média de público no meio da Spring Season (1º Turno) de 2015 em relação à Fall Season (2º Turno) de 2014. Em 2016, porém, a tendência se inverteu: da média final de 4.471 torcedores registrada ao longo de 2015, menos de 1.300 voltaram às arquibancadas. No último sábado (20), porém, o jogo começou a virar, com 2.247 strikers (quase o dobro da média de toda a temporada até aqui) empurarrando a equipe para a vitória, contra o Ottawa Fury. O que mudou? O estádio: saiu o Lockhart Stadium e entrou o Central Bowl Stadium.

ftl 3

Medida inusitada? Sim, mas também justificável. Afinal, com seus mais de 20.000 lugares, o Lockhart Stadium sempre pareceu (e comprovou ser) grande demais para a NASL, categoria que se notabiliza por estádios menores e uma experiência de match day calculadamente “menos business” em relação, por exemplo, à Major League Soccer-MLS, o campeonato de elite dos EUA. Um cenário mais adequado aos 5.000 assentos do Central Bowl. Quer dizer, a ideia aqui não é apenas mexer, mas concordar com a percepção que os torcedores têm do campeonato, criando proximidade entre a torcida e o clube – algo feito com brilhantismo por Minnesotta United (que está de mudança para a MLS) e Indy Eleven, campeões de público na Segundona. É um trabalho de posicionamento.

ftl

E encerramos provocando: se uma taxa de ocupação inferior a 10%, como a que o Fort Lauderdale Strikers vinha registrando no Lockhart Stadium, tornar-se condição sine qua non para determinar que um clube deve mudar de estádio, nove equipes da nossa Série B (Tupi-MG, Oeste-SP, Bragantino-SP, Goiás-GO, Atlético-GO, Vila Nova-GO, Náutico-PE, Londrina-PR e Sampaio Corrêa-MA), e outras nove da Série C (Guaratinguetá-SP, Cuiabá-MT, Macaé-RJ, Boa Esporte-MG, Ypiranga-RS, Mogi Mirim-SP, Portuguesa-SP, Juventude-RS e Ríver-PI), precisarão de casas novas ainda em 2016. Sugestão de locais?

Thiago Zanetin tem 30 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na Serie A e na Europa.

Imagens: Divulgação.

Category: MarketingNegócios