Jogadores x Tenfield: a guerra pela independência do Uruguai

auf

Final feliz? Não. A renovação entre PUMA e Uruguai foi apenas a primeira batalha de um conflito sem data para acabar. Menos pela fornecedora esportiva e mais, muito mais, pela Tenfield – a rede de TV uruguaia que, desde 1998, controla os direitos de imagem e a vida comercial da Asociación Uruguaya de Fútbol-AUF.

Recapitulando: em seu último vínculo, intermediado pela Tenfield, a AUF recebeu US$ 5 milhões da PUMA. O elenco celeste, então, apresentou à entidade uma proposta de US$ 24,5 milhões por sete anos da Nike, prontamente refutada pela própria Tenfield, que preferia manter a PUMA pelo valor anterior (menor). Seguiram um comunicado oficial do elenco, representado pelo capitão Diego Godín, e toda sorte de protestos, até que, para manter a PUMA no Uruguai, a Tenfield se viu “obrigada” a igualar as bases da Nike.

Diego Godin

“Se o contrato foi igualado, qual o problema?”, você pergunta. O problema é que a vontade da Tenfield prevaleceu. Ao tentarem levar a Nike ao Uruguai, os jogadores celestes tinham em mente exatamente o oposto: que a vontade da AUF prevalecesse; e que essa negociação fosse o primeiro passo para eliminar os intermediários dos negócios que envolvem a Seleção.


Novamente representados por Godín, os jogadores celestes se posicionaram a relação AUF-Tenfield em carta aberta (veja acima). E resolveram acertar a intermediária onde dói: no bolso. Primeiro, nessa mesma carta, proibiram-na de “usar e explorar, de forma ilegítima” os seus direitos de imagem. E nesta semana, durante os treinos que antecederam a partida de hoje (10) contra o Equador, pelas Eliminatórias para a Copa 2018, foram a campo com uniformes sem estampas dos patrocinadores da seleção – Coca-Cola, Antel, Pilsen e Sancor Seguros, todos captados pela Tenfield (veja a imagem abaixo).

uru

Não é errado que confederações nacionais tenham parceiras que intermedeiem suas negociações com patrocinadores e fornecdores. É errado, porém, que essas mesmas confederações se tornem meios para que suas parceiras cresçam em negócios e engordem os próprios portfólios. A relação entre AUF e Tenfield foi assinada quando o marketing boleiro engatinhava entre as seleções da CONMEBOL; não é ilegal, mas suas bases apenas estão ultrapassadas. É o Uruguai que reúne jogadores de projeção mundial. É o Uruguai que, desde o quarto lugar na Copa 2010 e a vitória na Copa América 2011, retoma sua importância no futebol mundial. É justo, então, que o Uruguai tenha a maior parte dos ganhos dos contratos que atrai para si. A celeste é um produto em crescimento e os jogadores já perceberam. Que os torcedores também percebam e os apoiem. Chega de dependência institucional no futebol sul-americano.

Thiago Zanetin tem 31 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha com o dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar na Serie A e na Europa.

Imagens: Divulgação.

Category: MarketingMercadoNegócios