Preliminar: adidas vai abrir 2016 liderando fornecimento no Brasileirão

adidas

Promovidos e rebaixados definidos, vamos a uma rápida análise daquele que, hoje, é o cenário de fornecimento esportivo da Série A 2016. Com cinco clubes (Palmeiras, Flamengo, Sport, Fluminense e Ponte Preta), a adidas abriu vantagem para Umbro (que manteve Grêmio, Atlético Paranaense e Chapecoense, mas “perdeu” Vasco da Gama e Joinville); Nike (Corinthians, Internacional e, por enquanto, Coritiba) e PUMA (que, além do Atlético Mineiro, resgata Botafogo e Vitória). Respectivas parceiras de Cruzeiro e Figueirense, as marcas nacionais Penalty e Lupo promoveram, cada uma, um novo representante (Santa Cruz e América Mineiro). Under Armour, com São Paulo, e Kappa, com o Santos (“substituto” do Goiás), mantiveram-se no mesmo patamar.

galo

O QUE PODE MUDAR? O Coritiba seguirá com a Nike apenas até o primeiro semestre de 2016, e, daí para frente, voltará a vestir adidas – com quem foi campeã brasileiro em 1985. A marca das três listras, assim, deve ampliar o seu domínio. Já o Atlético Mineiro está em vias de confirmar a canadense Dry World como sua nova fornecedora, num contrato de cinco anos que deve render R$ 100 milhões. A PUMA, porém, não ficaria desfalcada com a saída do “galo” já que, desde setembro, é especulada para substituir a Penalty no fornecimento do Santa Cruz; se isso de fato acontecer, a participação das marcas nacionais cairia de 20% (4 clubes) para 15% (3).

Thiago Zanetin tem 30 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha sempre em ver as verdadeiras cores gialloblù da cidade brilhando Europa afora.

Imagem: Divulgação

Category: Marketing