OPINIÃO | Santos e Kappa: uma parceria que precisa dar certo

santos

Desde o último dia 24 de outubro, sabemos (oficialmente) que o Santos vai trocar Nike por Kappa a partir de 2016. Conhecemos também os termos do contrato: pelas próximas três temporadas, o Santos estará à frente de todo o negócio; ao invés de contar com royalties fixos, o clube, que participará da criação de cada produto, terá a intermediação da SPR Sports – que gere a marca Kappa no Brasil – e será o responsável pela produção e distribuição, ganhando 100% sobre o material negociado com os canais, além de uma margem maior as sobre vendas.

kappa

Os santistas, claro, torcem para que a parceria funcione. E você, de qualquer outro clube, também deveria torcer. Porque esse acordo representa um diálogo direto e abrangente com o próprio torcedor. A partir de agora, o Santos não conseguirá atender (e faturar com) o seu público consumidor sem entendê-lo. O que ele deseja? Onde ele está? Qual o mínimo que pode pagar? E o máximo? Vale a pena segmentar linhas de produtos por preço? Em que épocas está mais propenso a comprar? Compra mais em lojas físicas ou via e-commerce? Teremos produtos temáticos que cobrem o calendário promocional – Dia dos Namorados, Dia das Crianças, Natal, etc.?

Essas são apenas algumas das perguntas que todos os gestores dos nossos clubes deveriam se fazer. Pelos lados da Vila Belmiro, algumas delas já estão sendo respondidas pelo presidente do Santos, Modesto Roma Jr.: “Nossa expectativa é aumentar a distribuição física dos produtos, ocupando todos os canais de venda disponíveis, sejam pela internet, lojas físicas e da marca. E complementa: Teremos o cuidado de colocar à disposição dos torcedores um enxoval que irá desde o recém-nascido até o casual”. Complementadas por uma linha popular de uniformes, essas ações supririam boa parte das necessidades de consumo dos santistas.

santos3

Agora, imagine se, em meio a tudo isso, o torcedor ainda pudesse opinar sobre o produto que ele mesmo irá comprar? Por exemplo, em uma votação aberta para a escolha dos desenhos das camisas – algo como, “Escolha a camisa que estamos fazendo para você”. Essa flexibilidade é possível. Porque, mais do que uma oportunidade, a parceria com a Kappa dá ao Santos a possibilidade de estabelecer uma relação de verdadeira intimidade entre a sua marca e o seu torcedor. Esperamos que dê certo. E que esse futuro case de sucesso se torne, de fato, um modelo inspirador para a maioria absoluta dos nossos clubes, que parecem “entregar” aos fornecedores esportivos a responsabilidade de atender seu próprio público.

Essas linhas foram escritas a partir de uma troca de ideias com os santistas Marcio Dias e Marcelo Cunha, da comunidade Pimba na Gorduchinha-PNG, do Facebook. Valeu, boleirada.

Thiago Zanetin tem 30 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha sempre em ver as verdadeiras cores gialloblù da cidade brilhando Europa afora.

Imagens: Divulgação (1 e 2); FutebolDeCampo.Net/Fabio Soares (3)

Category: MarketingMercadoNegócios