Deloitte | Como e quanto faturam as 5 maiores ligas nacionais da Europa

deloitte 1

Nos últimos dias, a Deloitte divulgou a última edição 2015 do seu relatório “Annual Review of Football Finance”, que traça um panorama financeiro dos cinco principais campeonatos nacionais da Europa: Barclays Premier League (Inglaterra), 1. Bundesliga (Alemanha), Liga BBVA (Espanha), Serie A Tim (Itália) e Ligue 1 (França). Pela terceira temporada consecutiva, todas elas, mesmo com disparidades internas – principalmente entre os clubes espanhóis, italianos e franceses – reportaram recordes de receitas, e, juntas, faturaram € 11,3 bilhões em 2013-14, uma alta de 15% em relação a 2012-13.

Mais uma vez, grande parte desse resultado se deve à Premier League, que supera amplamente as concorrentes em receitas de matchday e direitos de transmissão; os alemães ainda comandam a parte comercial. A supremacia inglesa é tão grande que até os 72 clubes da Sky Bet Football League (Segunda, Terceira e Quarta Divisões) mereceram atenção – falaremos sobre eles em outra oportunidade. Vamos aos números.

deloitte 2 premier

PREMIER LEAGUE:

– Receita total £ 3,26 bilhões (+29%). É a liga que mais fatura no mundo;

– Somados, seus 20 clubes registraram um recorde de lucros operacionais (£ 614 milhões) e pré-impostos (£ 187 milhões);

– Os ganhos comerciais saltaram de £ 135 milhões para £ 884 milhões. 78% desse valor foi consolidado pelos quatro participantes da UEFA Champions League (Manchester City, Manchester United, Chelsea e Arsenal), Liverpool e Tottenham;

– Apenas com direitos de transmissão, a liga gerou € 171 milhões a mais do que o total de receita dos 20 participantes da Liga BBVA, € 405 milhões em relação aos da Serie A TIM e € 606 milhões sobre os da Ligue 1;

– O débito global dos participantes caiu para £ 2,4 bilhões (-6%). Juntos, Arsenal, Tottenham e Aston Villa foram responsáveis por £ 250 milhões nessa redução;

– Os gastos com salários subiram 9%, mas representam menos 20% do orçamento global, o índice mais baixo desde 1998-99;

– Considerando também os 72 clubes da Football League, os investimentos em transferências ultrapassaram, pela primeira vez, o £ 1 bilhão.

deloitte 3 bundesliga

1. BUNDESLIGA:

– Receita total de € 2,3 bilhões (+13%), a segunda maior do estudo;

– Única liga a arrecadar mais com acordos comerciais (incluindo patrocínios esportivos) do que com direitos de TV e matchday;

– Em números absolutos (€ 482 milhões) e proporcionalmente (21%), é a liga que mais se “alimenta de” matchday;

– O custo global com salários foi de € 1,1 bilhão, que representa 9% de aumento em relação a 2012-13, e também uma diminuição de 50% na relação salários-receitas (a menor desde 1996-97);

– Com a ativação do novo acordo de broadcasting da Ligue 1, a 1. Bundesliga começará 2015-16 como o menor repasse por clube entre as cinco principais ligas.

deloitte 4 la liga

LIGA BBVA:

– Receita total de € 1,9 bilhão (+3%);

– Receitas por clube: apenas Barcelona e Real Madrid ultrapassaram € 500 milhões; o Atlético de Madrid, campeão espanhol, consolidou € 17 milhões; juntos, os demais 17 clubes chegaram a € 43 milhões;

– O custo global com salários (€ 1,2 bilhão) subiu 9% em relação a 2012-13, e consome 60% da arrecadação total.

deloitte 5 serie a

SERIE A TIM:

– Receita total de € 1,7 milhão, que representa a pior evolução do estudo (+1%);

– Grande parte das receitas foi levantada pela Juventus, semifinalista e sede da decisão da UEFA Europa League;

– “TV-dependência” aguda: 59% da arrecadação vem das telinhas;

– O custo global com salários manteve-se em € 1,2 bilhão. Mesmo assim, é o segundo maior do estudo, consumindo 70% da arrecadação geral.

deloitte 6 ligue 1

LIGUE 1:

– Receita total de aproximadamente € 1,5 milhão (+15%). Boa parte do resultado se deve ao crescimento de € 75 milhões do Paris Saint Germain;

– Puxada pelos acordos de PSG e Monaco, a receita comercial da liga cresceu 42%, cegando a € 223 milhões;

– Em números absolutos (€ 144 milhões) e proporcionalmente (10%), é a liga que menos se “alimenta de” matchday;

– Proporcionalmente, a liga foi a que mais aumentos seu custo global com salários: +11%, para um valor de € 1 bilhão, que representa 64% da arrecadação geral;

– Somados, seus 20 clubes, registraram € 140 milhões de prejuízo.


Thiago Zanetin tem 29 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha sempre em ver as verdadeiras cores gialloblù da cidade brilhando Europa afora.

Imagens: Divulgação

Category: MarketingMercado