Com sócio da China, Atlético de Madrid deve abrir mais de 200 lojas no país

atl

A China é o novo caminho para a internacionalização do Atlético de Madrid. E o passaporte está com o seu novo sócio, o Dalian Wanda Group. Após investir cerca de € 45 milhões para adquirir 20% das ações do clube, a empresa pretende instalar pequenas lojas e quiosques colchoneros em mais de 200 em que tem negócios pelo país.

Se a quantidade chama a atenção, a qualidade também será um destaque, já que o Dalian Wanda Group atua, prioritariamente, como “desenvolvedor” de empreendimentos comerciais, turísticos e culturais, além de hotéis de luxo. Ou seja, ao mesmo tempo em que atingirá um público local com excelente poder aquisitivo, o atual campeão espanhol estará mais próximo, também, de consumidores internacionais que movimentam os crescentes mercados de turismo e negócios da China.

Turnês de pré e intertemporada pelo país também estão nos planos. No entanto, o Atlético de Madrid terá que “dividir” sua agenda com a Índia, onde mantém o Atlético de Calcutá, seu clube filiado que, em menos de um ano, conquistou a primeira edição da Hero Indian Super League e se estabeleceu como o segundo clube mais popular do torneio, com média de público de 43.887 espectadores na fase regular e 53.173 nos play-offs. São as portas do Oriente se abrindo de vez para o Vicente Calderón.

Thiago Zanetin tem 29 anos e é redator publicitário na Concêntrica Comunicação e Conteúdo. Fanático seguidor do Hellas Verona, sonha sempre em ver as verdadeiras cores gialloblù da cidade brilhando Europa afora.

Imagens: Divulgação

Category: MarketingMercadoNegócios