Antes do Deadline Day, janela 2014-15 já era a mais cara na história da Premier League

di maria

O mercado de transferências do verão europeu chega ao final hoje. E, independente de qualquer novo negócio, a Barclays Premier League já superou seu próprio recorde de gastos: de acordo com a Deloitte, até a última sexta-feira (29 de agosto), os 20 clubes da elite inglesa já haviam gastado £ 725 milhões, cerca de £ 100 milhões a mais em relação ao mesmo período da temporada 2013-14.

Diferente do que transferências milionárias, como a de Ángel Di Maria para o Manchester United (até então a mais cara do futebol inglês, £ 60 milhões), poderiam indicar, o montante de negociações internacionais tem se mostrado ligeiramente inferior ao de 12 meses atrás: £ 475 milhões contra £ 490 milhões. Por outro lado, os valores de compra e venda entre os clubes da própria Premier League praticamente dobraram, saltando de £ 100 milhões para £ 195 milhões – e esse número cresceu ainda mais ontem (31 de agosto), com os £ 10,5 milhões da venda de Loic Remy do Queens Park Rangers para o Chelsea. Acordos com os clubes da Sky Bet Football League também cresceram, de £ 40 milhões para £ 55 milhões.

chelsea

E de onde vem tanto dinheiro? Sempre segundo a Deloitte, o aumento das receitas de TV deram fôlego extra para que os clubes pudessem investir no mercado. De fato, nenhuma outra liga na Europa arrecada tanto em direitos de transmissão quanto a Barclays Premier League. Os números desse levantamento, porém, têm tudo para mudar, já que, considerando as duas últimas janelas, os clubes ingleses efetuaram 20% de seus gastos totais no último dia de negociações. Aguardamos as surpresas.

Imagens: Divulgação

Category: MarketingMercadoNegócios