#Copa2014 | Como as marcas reagiram ao vexame do Brasil

sad-brazil-fan

Como já dissemos algumas vezes, no futebol as ações de marketing são importantes tanto nas vitórias quanto nas derrotas. É imperativo dialogar com o torcedor nos momentos de baixa, mostrar que ele não está sozinho, que a sua tristeza ou indignação não são sentimentos isolados – e, claro, que vão passar. Tudo que nós, “canarinhos”, estávamos precisando ouvir depois dos humilhantes 7×1 impostos a nós pela Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo FIFA 2014. Demorou um pouco mais do que deveria, mas as marcas que tanto ativaram a Seleção nos últimos meses se posicionaram após o vexame. Vamos ver como:

Com a campanha #JogaPraMim, a Sadia apresentou a interessante proposta de explorar o Mundial na visão das crianças nascidas após 2002 (ano do penta), e que, por isso, nunca viram o Brasil ser campeão. Com a derrota, o foco mudou da esperança do título para a inesquecível experiência de acompanhar e torcer em Copa pela primeira vez, com a assinatura “Seleção, #TamoJuntinho”. Uma ótima virada na comunicação.

A Coca-Cola foi mais rápida que a sua concorrente – e patrocinadora oficial da Seleção -, Guaraná Antarctica, e lançou o filme “#MomentosMaiores”, que faz o paralelo entre os torcedores que choraram a perda da Copa de 1950, no Maracanã, e hoje são pentacampeões mundiais, e os que choram em 2014, mas ainda verão muitos títulos “canarinhos”.

Dona de boas ações e filmes para seu conceito #TamoConectado, a Vivo, até o momento, deu uma resposta discreta: posts em suas redes sociais explorando a imagem de David Luiz, seu principal embaixador “canarinho”, com a mensagem “#TamoConectado Sempre”.

Após exaltar as características únicas do nosso futebol com a campanha “Ouse Ser Brasileiro” – e também numa série de ações do conceito #RiskEverything -, é até compreensível que a Nike, fornecedora esportiva da Seleção, tenha precisado de um tempo maior para assimilar o golpe. A resposta, porém, veio no já conhecido tom de manifesto explorado pela marca em suas redes sociais.

De “Imagina a Festa” para “Trsiteza Passa”. A adaptação de discurso da Brahma, uma das marcas que mais abraçou a realização da Copa do Mundo FIFA 2014 no Brasil, foi tão radical quanto a derrota que tirou a nossa Seleção da luta pelo hexa.

Mesmo com maior foco no Mundial do que na participação específica do Brasil, a Visa também resolveu se manifestar, fazendo um elogio à torcida “canarinha” logo após à derrota na disputa do terceiro lugar, contra a Holanda.


Patrocinador oficial da Seleção desde 2001, o Guaraná Antarctica reagiu à derrota para a Alemanha – e, principalmente, à já citada ofensiva da Coca-Cola, sua grande rival – em suas mídias sociais: no Twitter, a principal postagem demonstrou o resultado de uma ação interativa pró-Neymar Jr.; e no Facebook, uma série de posts exaltou a relação da marca com a “amarelinha”.

1º update: 12/07/14, às 13:28. 2º update: 12/07/14, às 15:56. 3º update: 13/07/14, às 11:11. 4º update: 13/07/14, às 11:39. 5º update: 15/07/14, às 8:46.

Imagem: Divulgação

Category: Marketing

Comentários