Contra a TV e a liga, torcidas de Genoa e Sampdoria vão boicotar derby

feraris

Nos últimos tempos, temos dado destaque a muitos estudos sobre as receitas das principais ligas e clubes da Europa. E em todos, o futebol italiano recebe sempre o mesmo diagnóstico: dependência explícita dos contratos de televisão. Sem eles, não haveria, por exemplo, representantes do país no Top 20 do último Football Money League, da Deloitte.

Não há nada de errado em engordar o caixa com broadcast. O problema é quando esse tipo de negócio monopoliza, além dos balanços, a atenção dos clubes em detrimento de outras áreas fundamentais, como a atuação comercial e, principalmente, os ganhos e relacionamento com seus clientes nas arquibancadas. É o que vamos ver agora.

Nesta semana, os torcedores de Genoa e Sampdoria souberam que o próximo derby della lanterna, em 2 de fevereiro, foi programado para as 12h30 (7h30, no Brasil) pela Lega Calcio e as operadoras de TV. Com essa decisão, rebaixa-se uma partida com quase 60 anos de história à faixa de transmissões locais da Terceira e Quarta Divisões italianas. Mais do que isso: o horário é conflitante com os hábitos e eventos de Gênova, o que, certamente prejudicará a presença de público – e as já combalidas médias de espectadores das equipes – no estádio Luigi Ferraris/Marassi.

Foi o bastante para que, de eternos rivais, genoani e blucerchiati se unissem na intenção de boicotar a partida. A iniciativa partiu das torcidas organizadas Gradinata Nord (Genoa) e Tito Cucchiaroni (Sampdoria), que pretendem mostrar à Itália como o silêncio das arquibancadas pode baixar o valor de uma transmissão. Para nós, essa é a enésima e contundente demonstração de que o futebol italiano precisa, com urgência, investir e valorizar o torcedor. Abaixo, você confere os comunicados oficiais dos grupos ultrà:

Jogar o derby às 12h30 é uma decisão perversa, que merece uma resposta decidida e determinada. O futebol é, cada vez mais, um capacho da televisão. O esporte passa a segundo plano sob a batuta de bajuladores e dementes condutores de opinião. Os torcedores representam apenas carteiras que devem ser esvaziadas, ludibriados, com a devida permissão da Lega Calcio. Convidamos os torcedores do Genoa a esvaziar o Luigi Ferraris, concentrando-se abaixo da Gradinata Nord para seguir as iniciativas que indicaremos. Não vamos omitir nenhum protesto; quem decidiu o horário do derby merece uma resposta. A RESPOSTA VIRÁ, E NÃO VAI AGRADAR. Nossos alvos são os responsáveis por essa nojeira: as TVs pagas, os jornalistas que comem futebol e cospem no torcedor, e a Lega Calcio. Quem quiser entrar no Ferraris vai encontrar um estádio nu: sem torcida, sem cachecóis, sem bandeiras e sem coreografias. Nossa coreografia vai ser vista na rua. Estamos dispostos a rifar nossa pele. Preparem-se para defender as de vocês. NÃO AO FUTEBOL MODERNO. TODOS FORA DO ESTÁDIO, DO PRIMEIRO AO ÚLTIMO HOMEM. Grupos Ultras da Gradinata Nord

Uma gota. Não a única, mas aquela que faz o vaso transbordar. O derby às 12h30 é uma ofensa. Uma ofensa, antes de tudo, aos torcedores genoveses, que encaram essa partida com a espera e a tradição de uma final. Relegá-la ao horário reservado à partida mais desinteressante do dia é uma agressão que não pode ser aceita. É uma ofensa aos dois clubes, amarrados de pés e mãos ao dinheiro das televisões, que os mantêm vivos; a ponto de não dizerem uma palavra contra essa decisão embaraçosa. O derby de Genoa é uma partida historicamente desprovida de técnica. Os verdadeiros valores do derby são outros. Uma atmosfera igual a poucas no mundo. Uma rivalidade acirrada, insuperável, duríssima. Um cenário quente nas arquibancadas, que supera os canônicos 90 minutos de jogo. É isso que as televisões vendem. Mais do que a partida, vendem nós todos. Não estamos em Milão, onde os campeões se destacam. Aqui, campeãs são as 30 mil pessoas, genovesas, que saem de casa e lotam o Marassi. Por isso, não aceitamos esse ultraje. Reivindicamos os papéis de protagonistas do show. Quanto vale esse show sem nós, os torcedores? Às 14h15, vocês nos dirão. Porque nós não vamos entrar. Vamos deixar que vocês transmitam o “seu derby”. E que a nossa ausência obrigue vocês todos a refletir, de uma vez por todas, sobre o valor dos torcedores. Estaremos em defesa da nossa gente. Antes, durante e depois. Tito Cucchiaroni

Imagem: Divulgação (1); Desconhecido (2 e 3)

Category: MarketingMercado

Comentários

  1. FORZA SAMPDORIA!

    TEM QUE BOICOTAR MESMO OS FILHOS DA PUTA QUE COMANDAM A LIGA E A PRÓPRIA SAMP. FORA GARRONE!!!