TOP 5 | Grandes momentos do Brasil na Copa das Confederações

Fim da expectativa: hoje (15), o Brasil começa a receber oficialmente a Copa das Confederações FIFA 2013. E, na pista da estreia, Futebol Marketing separou cinco grandes jogos canarinhos no torneio – das três finais vitoriosas a vitórias contra grandes seleções.

Confira (e se achar que faltou alguma disputa ainda mais surreal, mande para a gente aqui, nos comentários):

1997, Final: Brasil 6×0 Austrália. Única equipe que havia conseguido não ser derrotada pelo Brasil, ainda na fase de grupos, a Austrália viu seu sonho de conquistar o caneco se tornar um pesadelo ao som dos gols de Ronaldo Fenômeno e Romário, que marcaram três vezes cada. Pena que, um ano depois, na França, essa dupla não se repetiria.

2005, Semifinal: Alemanha 2×3 Brasil. Após uma classificação sofrida na fase de grupos, o quadro verde-e-amarelo mostrou que era um grupo de decisão. A primeira delas aconteceu contra a dona da casa, Alemanha, que viu Adriano (então em plena forma) e Ronaldo (plena experiência) levarem o Brasil a mais uma final. O melhor ainda estaria por vir.

2005, Final: Brasil 4×1 Argentina. Um dos melhores jogos da Seleção em todos os tempos: velocidade, precisão, espetáculo – tudo apareceu o tempo todo contra os rivais porteños. A ação do último gol é de cinema: toques, dribles e posse de bola em quase um minuto de progressão ao ataque. Como tudo isso deu errado em 2006?

2009, Grupo: Brasil 3×0 Itália. Desfigurada por uma crise técnica (e também por um uniforme incompreensível), a então atual campeã mundial Itália não foi páreo para o Brasil, que jogou fácil para golear. Um dos poucos momentos em que a Seleção realmente brilhou no torneio. Outros destes, porém, aconteceria na final.

2009, Final: Brasil 3×2 Estados Unidos. entre jogos jogos sofríveis (Egito), soberbos (Itália) e complicados (África do Sul), o Brasil de Dunga avançava. E na final, esteve a ponto de ser surpreendido pelos americanos, que viraram o primeiro tempo com 2×0 no placar. Em 45 minutos, porém, a reação: dois gols de Luis Fabiano e, a seis minutos do final, cabeçada certeira de Lúcio. O tri estava em casa.

Imagem: Desconhecido

Category: Colunas