EDITORIAL | Heysel, 8 de dezembro de 2013

Soccer - European Cup - Final - Liverpool v Juventus - Heysel Stadium

A imagem acima aconteceu há quase 30 anos, no estádio de Heysel, em Bruxelas, quando Liverpool e Juventus decidiram a então UEFA Champions’ Cup (atual Champions’ League). Uma das piores tragédias do futebol mundial, que acabou em morte para 39 torcedores juventini.

Já a imagem abaixo aconteceu ontem (8), na Arena Joinville, no jogo entre Atlético Paranaense e Vasco da Gama, pelo encerramento do Campeonato Brasileiro 2013. Três feridos graves – felizmente, nenhum fatal – em mais um dos muitos (e, sim, foram muitos) episódios de violência que vimos em nossos estádios neste ano.

join

Você consegue encontrar diferenças entre essas duas imagens? Talvez o público nas arquibancadas, a estrutura dos estádios ou, quem sabe, o ângulo dos fotógrafos. Mas é só isso. Porque nenhuma delas é o resumo de tudo o que aconteceu. Foi pior, bem pior.

Barbárie. Pura, gratuita e inaceitável. É difícil não repetir clichês quando nos deparamos com cenas que, de tão recorrentes, também já se tornam clichês. Essa é a imagem que desejamos passar – ao mundo e a nós mesmos? É esse o nosso futebol – meu e seu, de todo o final de semana, todos os dias e todas as horas? Não pode ser. Não tem que ser.

Torcedor, já tivemos nosso Heysel. Não vamos esperar por um Hillsborough. Reaja. Exija seus direitos e sua segurança nos estádios. E, se for preciso, boicote. Nosso esporte é imortal mas, sem você, ele não resiste uma semana. Terá que mudar, nem que seja à força. Mas à força das ideias. E não dos punhos, paus e pedras.

Imagens: Desconhecido (1); GE.com (2)

Category: Colunas

Comentários