Balancetes trimestrais mostram Flamengo em busca de equilíbrio

Na última sexta-feira (23), o Flamengo divulgou os balancetes dos dois primeiros trimestres de 2013. Com evoluções para o bem e para o mal, os números ainda estão distantes dos sonhados pelos rubro-negros; mesmo assim, mostram uma tendência positiva em relação a junho de 2012, e indicam que o torcedor – associado ou “comum” – deve ser o foco dos crescimento.

Para ter acesso integral aos exercícios de março e junho clique sobre os meses. Apresentamos, agora, alguns dados relativos ao futebol:

– Receita bruta de futebol: aumento de R$ 79,5 milhões para R$ 89,7 milhões.

– Sócio-Torcedor: arrecadação de R$ 1,3 milhão em seis meses.

– Bilheteria: queda de R$ 5,2 milhões para R$ 1,8 milhão.

– Marketing: aumento de R$ 17,4 milhões para R$ 19,6 milhões.

– Receitas a realizar (cotas de TV, adiantamentos, patrocínios etc): aumento de R$ 839,1 milhões para R$ 826,2 milhões.

– Contas a pagar (negociações, direitos de imagem, luvas, intermediações etc): queda de R$ 113,3 milhões para R$ 60,3 milhões.

– Empréstimos (bancos e federações): de R$ 89 milhões para R$ 79,6 milhões.

– Salários: aumento de R$ 28,8 milhões para R$ 30,9 milhões.

Imagens: Divulgação

Category: Marketing

Comentários

  1. Oi, Adriano.

    Por marketing, geralmente entende-se o volume comercial – venda de camisas, merchandising diverso etc.

    No caso do Flamengo, os patrocínios entram mais nas receitas a realizar, já que são termos assinados por muitas temporadas e os repasses (salvo adiantamentos), são anuais.