TOP 5 | Os gols mais dolorosos de 2012

Após elencar os gols mais salvadores de 2012, FutebolMarketing.com.br traz, agora, os tentos que mais provocaram lágrimas neste ano, na opinião da nossa equipe.

São bolas que não apenas definiram classificações e rebaixamentos, mas também foram morrer na rede em plenos minutos finais das partidas – no limite da “maldade”. Confira (e se achar que faltou algum lance ainda mais dramático, mande para a gente aqui, nos comentários):

 Campeonato Brasileiro – Série A, 36ª rodada: Flamengo 1×1 Palmeiras – Vágner Love. O desesperado Verdão precisava vencer e torcer contra concorrentes diretos para manter a esperança de ficar na elite. Saiu na frente e assim se manteve até os 43′ do segundo tempo, quando sua ex-estrela, Vágner Love, disparou pela esquerda e bateu; a bola desviou no zagueiro Román e matou Bruno. Fim da linha: ao término da rodada, resultados paralelos condenaram o alviverde à Segundona, pela segunda vez.

 La Liga BBVA, 38ª rodada: Villarreal 0x1 Atético de Madrid – Falcao García. Quando estava no Porto, em 2010-11, o “tigre” colombiano marcou quatro contra o Villarreal, pelas semifinais da UEFA Europa League. E um ano depois, já no Atlético de Madrid, anotou, quase nos acréscimos, o gol que mandou o clube valenciano para a Liga Adelante (Segundona). Aos amarillos, bastaria um empate para a permanência.

Copa Santander Libertadores da América, quartas de final: Fluminense 1×1 Boca Juniors (ída: 0x1) – Santiago Silva. Adversários na fase de grupos, tricolores e xeneizes se reencontraram na disputa por um lugar nas semifinais. Na Bombonera, vitória argentina pela contagem mínima. Na volta, no Engenhão, o Fluminense vencia e levava a disputa para os pênaltis até os 45′ da etapa complementar, quando “El Tanque” empatou, obrigando o Flu a marcar outros dois gols. O sonho acabava alí. 

Copa Bridgestone Sul-Americana, quartas de final: Millonários 3×1 Grêmio (ída: 0x1) – Renteria. Classificado com um “gol espírita” na primeira fase, contra o Coritiba, o tricolor gaúcho provou do mesmo remédio em Bogotá. E, para mal dos pecados, o castigo veio pelo pés de um ex-colorado, num (duvidosíssimo) pênalti aos 47′ do segundo tempo. Não fosse este gol, passariam os brasileiros. 

FA Cup with Budweiser, semifinal: Liverpool 2×1 Everton – Andy Carroll. Perder a chance de decidir um título é sempre triste. Para o maior rival, então, nem se fala. E se a derrota for de virada, com um gol aos 43′ da etapa final, é pura crueldade. O gol de Andy Carroll deve estar sendo lamentado pelo lado azul do rio Mersey até agora.

Imagem: Ari Ferreira/Lancenet

Category: ColunasMarketing

Tags:

Comentários

  1. Cade o gol do emelec contra o Olympia no ultimo minuto que tirou o fla da libertadores ?

  2. pra mim o gol do Drogba ainda doeu mais aos 43 do segundo , Allianz arena em festa, Minique toda de vermelho e de repente eis q surge o criolo rei e poe agua no chop dos alemãoes ! foi muito triste , pros bavaros é claro !