Como faturam os 20 clubes mais ricos do mundo

Por Leonardo Bertozzi – comentarista dos canais ESPN

Receitas em dias de jogos, acordos comerciais e direitos de transmissão. Considerando apenas estes três fatores, a empresa de consultoria Deloitte levanta anualmente os 20 clubes que geram mais dinheiro. O relatório sobre a temporada 2010/11, divulgado nesta semana, mostra algumas conclusões interessantes e indicam o caminho aos dirigentes, que nos próximos anos terão de lidar com as exigências do fair-play financeiro da Uefa – ou seja, os gastos dependerão das receitas.

O Real Madrid lidera a lista pelo sétimo ano consecutivo, seguido pelo Barcelona. A receita de quase 480 milhões de euros representa um crescimento de 9% em relação à temporada anterior, deixando claro que não levará muito tempo para superar a marca de 500 milhões.

Logo a seguir vem o Barcelona, que, vale lembrar, teve sua última temporada sem patrocinador de camisa. A próxima lista já levará em consideração o valioso contrato com a Qatar Foundation, de 30 milhões de euros/ano. Portanto, há uma possibilidade real de a liderança mudar de mãos no ano que vem.

Os 20 primeiros colocados geraram um total de 4,4 bilhões de euros, o que representa mais de um quarto da soma do mercado europeu. Eles vêm das cinco principais ligas da Europa (Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França) e todos, com exceção do Hamburgo, estiveram em competições europeias – 14 na Champions League, cinco na Europa League.

Uma campanha duradoura na Champions tem peso positivo nas contas. Basta ver a entrada do Schalke 04, semifinalista na última temporada, no grupo dos dez primeiros. Veja abaixo a lista completa.

Clube
Receita total
Dia de jogo
Comercial
TV
Europa
Real Madrid
479,5
123,6
172,4
183,5
UCL
Barcelona
450,7
110,7
156,3
183,7
UCL
Man Utd
367
120,3
114,5
132,2
UCL
Bayern
321,4
71,9
177,7
71,8
UCL
Arsenal
251,1
103,2
51,2
96,7
UCL
Chelsea
249,8
74,7
62,8
112,3
UCL
Milan
235,1
35,6
91,8
107,7
UCL
Internazionale
211,4
32,9
54,1
124,4
UCL
Liverpool
203,3
45,3
85,7
72,3
UEL
Schalke 04
202,4
37,2
90,9
74,3
UCL
Tottenham
181
47,9
41,1
92
UCL
Man City
169,6
29,5
64
76,1
UEL
Juventus
153,9
11,6
53,6
88,7
UEL
Marseille
150,4
25,6
46,6
78,2
UCL
Roma
143,5
17,6
34,8
91,1
UCL
B.Dortmund
138,5
27,7
78,7
32,1
UEL
Lyon
132,8
19
44,2
69,6
UCL
Hamburgo
128,8
41,8
60,3
26,7
Valencia
116,8
27,5
22,9
66,4
UCL
Napoli
114,9
22
34,9
58
UEL

A necessidade de fazer dinheiro com o estádio tem sido um tema crucial nos últimos anos. Estruturas obsoletas e a falta de estádios próprios costumam custar caro. É um problema visível na Itália. Na lista abaixo, a porcentagem da receita em dias de jogos sobre a receita total evidencia a defasagem. No próximo estudo, a Juventus deve ter notável melhora, por causa de seu novo estádio. Algo que deve servir como referência para os outros clubes da Serie A.

Clube
Receita total
Dia de jogo
%
Juventus
153,9
11,6
8
Roma
143,5
17,6
12
Lyon
132,8
19
15
Milan
235,1
35,6
15
Internazionale
211,4
32,9
16

Um efeito colateral desta dificuldade é a dependência excessiva do dinheiro da televisão. Oito dos 20 clubes têm nos direitos de transmissão mais da metade de suas receitas. Destes, quatro são italianos.

Clube
Receita total
TV
%
Roma
143,5
91,1
64
Internazionale
211,4
124,4
58
Juventus
153,9
88,7
57
Valencia
116,8
66,4
57
Marseille
150,4
78,2
52
Lyon
132,8
69,6
52
Tottenham
181
92
51
Napoli
114,9
58
51

A diferença no formato da venda dos jogos nacionais para a televisão se faz notar nos números de Real Madrid e Barcelona. É verdade que eles não respondem sozinhos pela superioridade da dupla, mas uma comparação com o Valencia, terceiro espanhol em receita, mostra que o abismo é exagerado. Ao contrário das outras quatro ligas, a Espanha não vende seus direitos coletivamente. Repatir melhor o dinheiro da TV não ameaçaria a supremacia dos dois grandes, mas daria mais chances de crescimento aos demais.

Clube
Receita total
Dia de jogo
Comercial
TV
Real Madrid
479,5
123,6
172,4
183,5
Barcelona
450,7
110,7
156,3
183,7
Valencia
116,8
27,5
22,9
66,4

Na Inglaterra, os números são bem mais próximos. As receitas inferiores de Liverpool e Manchester City com a televisão se explicam pela ausência na Champions. Vale observar ainda a importância do estádio para o Arsenal, que fatura mais que a soma de Liverpool e Tottenham – não por acaso, clubes que têm pressa em seus projetos de novas arenas.

Clube
Receita total
Dia de jogo
Comercial
TV
Man Utd
367
120,3
114,5
132,2
Arsenal
251,1
103,2
51,2
96,7
Chelsea
249,8
74,7
62,8
112,3
Liverpool
203,3
45,3
85,7
72,3
Tottenham
181
47,9
41,1
92
Man City
169,6
29,5
64
76,1

O estudo da Deloitte ainda trouxe uma análise sobre ligas de mercados emergentes, incluindo o Brasil. A consultoria afirma que os times de maior receita, Corinthians e São Paulo, entrariam em uma lista dos 50 maiores do mundo, faturando entre 70 e 80 milhões de euros por ano.

A avaliação da empresa sobre a liga brasileira é de que os clubes têm se beneficiado de ótimos acordos de patrocínio e direitos de transmissão internos por causa de suas grandes torcidas. Porém, a dificuldade para encher os estádios e para vender o campeonato internacionalmente são fatores que atrapalham.

Diz o estudo: “A média da temporada 2011 na Série A brasileira foi inferior a 15.000, bem atrás das principais ligas europeias e dos 64 mil que foram ver São Paulo x Flamengo, maior público do campeonato. A possibilidade de públicos desta magnitude mostra o potencial dos clubes brasileiros. O Brasil receberá a Copa de 2014, e o investimento em estádios dará uma excelente oportunidade para os clubes melhorarem a experiência em dias de jogos para os torcedores”.

A Deloitte lembra ainda que o fuso horário atrapalha a negociação do campeonato para mercados como Europa e Ásia, e que a Copa Libertadores enfrenta a mesma dificuldade.

Category: MarketingMercadoNegócios