Coluna | Bem-vindo à era do esporte profissional

Para muitos, essa é a década de ouro para o esporte brasileiro. O nosso país é considerado a bola da vez no cenário mundial e muitos aguardam ansiosos a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Em contrapartida, para outros, a desconfiança prevalece e esses não acreditam no potencial dos mega eventos no Brasil. E você, de que lado está?

Todos aqueles ligados ao esporte sabem que as expectativas são as melhores. Mas, como fazer acontecer? Esse foi o tema central do Seminário de Gestão Esportiva promovido na última sexta-feira através de uma parceria entre a FGV, FIFA e CIES, na Academia Brasileira de Letras, no Rio de Janeiro.

O que podemos concluir é que o talento, a arte e o profissionalismo não podem estar apenas dentro das quatro linhas. Se tivermos bons profissionais na gestão do esporte, vamos conseguir transformar todas as oportunidades e ações em resultados de excelência, e consequentemente consolidar o marketing esportivo no país do futebol.

Grandes paixões envolvem grandes massas. Grandes massas fazem parte do esporte. E o esporte movimenta o mercado. A cadeia produtiva do esporte brasileiro é muito forte, muito rica e deve ser explorada. Para se ter uma noção, a economia produzirá 142 bilhões de reais adicionais por conta da Copa de 2014.

O problema é que hoje, o que temos em muitos clubes, confederações e empresas é um modelo de gestão ultrapassado e o amadorismo dos profissionais. Antigamente, o tal do “QI” (quem indica!) era o que prevalecia. Hoje, de nada adianta uma boa indicação se a pessoa não tiver talento, competência e profissionalismo. O gestor do esporte tem que ser visto como um profissional de conhecimento variado que saiba conciliar e equilibrar a paixão e a emoção com o método e a estratégia.

A demanda é alta, o mercado está aquecido, o índice de empregabilidade em nosso país é de 80% nessa área e a necessidade por profissionais competentes, para atuarem de forma direta ou indireta em clubes, confederações, federações, mídia, imprensa, empresas de materiais esportivos, consultorias e agências é enorme.

A Copa e as Olimpíadas já estão batendo na porta. Os estádios estão em obra, a seleção já está sendo testada, as empresas já estão assinando seus contratos, correndo atrás de seus direitos, planejando seus eventos e ações. Mas, ainda dá tempo: levante da cadeira! Informe-se, qualifique-se, participe de eventos, palestras, seminários e faça networking. Nós, brasileiros, temos um papel muito importante nesse momento. Vamos fazer bonito, mostrar que somos muito mais do que o país pentacampeão dos belos dribles e deixar na história um belo exemplo de planejamento, organização e estrutura.

Por: Larissa Esteves Guerreiro, apaixonada tanto por Futebol quanto por Marketing, participou do evento através da Promoção do Futebol Marketing.

Category: Colunas