Especial | Marketing de Torcida: Barcelusa

 

Foto: William Loureiro

Mais de 11 mil torcedores estiveram ao Canindé na noite de sexta-feira. Certamente um dos maiores públicos do ano. A vitória por 2 a 1 diante da vice-líder Ponte Preta não garantiria matematicamente o titulo, mas uma vantagem quase insuperável para a Portuguesa, com cinco rodadas restantes para o final da Série B.

Com tanta gente, tanta festa e a bandeira da Leões da Fabulosa estranhamente em ordem, nada poderia dar errado.

E não deu. A festa, preparada pela diretoria começou dentro e terminou fora do Canindé. Volta Olímpica, Trio Elétrico, cerveja para a torcida.

Mas foi uma divertida brincadeira feita pelos torcedores e para torcedores que chamou a atenção antes e, principalmente, depois da partida. A camisa “Barcelusa” vendida pelos camelos na porta do estádio, desfilou pelas arquibancadas.

Sim, a Barcelusa de “Ananiesta”, “Lionedno” e “Jorgiola” termo que nasceu no twitter e foi legitimado por Tostão se tornou uma ação de marketing, abraçada pela torcida, mas sem lucro algum para o clube.

Uma prova de que com pouco de humor e baixo custo também é possível fazer um bom marketing esportivo. Que os cartolas entendam o recado.

l

Luciana Zambuzi é jornalista, fanática por futebol, frequentadora de canchas da América do Sul e torcedora do Argentinos Juniors.

Category: Marketing

Tags:

Comentários

  1. Vale lembrar que partiu da imprensa essa atitude de renomear time e atletas. A brincadeira pegou e se alastrou pelas redes sociais.

    Alguns creditam isso aos usuários comuns das redes sociais, mas não, começou com jornalistas (alguns em seus perfis pessoais) e não necessariamente torcedores da CAMPEÃ Lusa.