Especial | Arsenal e sua política de contratações controversa

O Arsenal fechou a data limite (31 de Agosto) de contratações com 8 novos jogadores em seu elenco. Por ordem de contratações, o clube assinou com Gervinho, Jenkinson, Oxlade-Chamberlain, Ju-Young, André Santos, Mertesacker, Benayoun e Arteta. Por outro lado, perdeu-se jogadores importantes para clubes rivais diretos, entre eles Cesc Fàbregas e Samir Nasri, tal qual Gaël Clichy e Nicklas Bendtner. Calcula-se que, ao final, o Arsenal obteve uma janela de negociações positiva e bem lucrativa com mais de , trazendo bons jogadores a preços bastante razoáveis. Acontece que, mesmo que com uma das janelas mais movimentadas dos últimos 14 anos da era Wenger, o Arsenal ainda não inspira total confiança e, mais uma vez, continua sendo o time a bater os rivais diretos.

Após uma derrota histórica, a diretoria juntamente com Wenger decidiu agir. Trouxeram quatro jogadores no último dia de transferências, sendo que o último, Arteta, foi confirmado apenas trinta minutos após o fechamento. Para suprir as ausências de Fàbregas e Nasri, Benayoun e Arteta devem figurar juntamente com Wilshere no time principal. O israelita veio por empréstimo do Chelsea por um ano, já o espanhol é especulado ter custado 10 milhões de libras ao clube inglês. Mas … ao final, a pergunta permanece: o que leva Arsène Wenger e a diretoria do Arsenal a ter tanta dificuldade com as contratações? Especulou-se dezenas de jogadores nos últimos dois dias, e ao final, a janela trouxe ânimo e confiança à torcida no geral. Apenas.

Talvez a melhor das contratações do clube tenha sido Per Metersacker, alemão amplamente renomado e experiente. Com boa estatura e condições físicas excelentes, o gigante de 1,97m parece ter custado 7,2 milhões de libras ao Arsenal. O Werder Bremen havia o colocado sua lista de transferência e o jogador aproveitou a brecha para sair a um clube que declaradamente gosta na Premier League. Já Benayoun, um rapaz sempre promissor, criativo e comprometido com seus clubes, estava encostado no Chelsea. O Arsenal o adquiriu por empréstimo por um ano e terá tempo hábil para maiores contratações no Agosto próximo.

O que mais espanta o torcedor gooner é: por quê o Arsenal parece se apequenar tanto nas janelas de contratações e, além disso, sempre estar em segundo plano nas disputas pelos títulos? Os resultados devem aparecer rapidamente pois, desde que o clube perdeu a final da Carling Cup para o Birmingham na temporada passada, conquistou apenas duas vitórias. De qualquer forma, Wenger e seus aliados internos parecem ter conquistado mais uma vez a confiança de boa porcentagem da torcida. O manager vinha ameaçado até mesmo de cargo, coisa que nunca havia ocorrido em seu tempo por lá.

Para finalizar as belas especulações que rondaram o Emirates Stadium, o clube quase fechou com Eden Hazard, do Lille, por um valor não declarado abertamente. O jogador quis sair mas o clube não permitiu; além disso, pediram um valor de 35 milhões de libras, recusado instantaneamente pelo Arsenal. Ainda tentou-se contratar Cahill, do Bolton, ao que lhe foi oferecido 10 milhões de libras, quando seu clube pediu pelo menos mais 7 milhões. Este último pode sair de graça na temporada seguinte, por estar em último ano de contrato com o Bolton. Péssimo negócio fez o clube.

Ao final, o Arsenal fica com mais de 50 milhões de libras em caixa, podendo ter sido gastos com outras contratações e, ainda, oferecer melhores salários a seus atuais jogadores. Um dos maiores problemas do clube é que Ivan Gazidis fixou o teto salarial dos gunners em 110 mil libras por semana, enquanto clubes medianos da Premier League chegam a pagar 130 ou 150 mil a seus jogadores. Wenger teve problemas com isso em relação a Fàbregas e Nasri, e não conseguiu mantê-los. A reestruturação está ocorrendo no Arsenal e parece que dessa vez Arsène poderá trabalhar com menos pressão e maior confiança da torcida. O apoio da diretoria ele sempre teve por obter tanto sucesso em lucrar a todo momento.

Hendrix Freire (@fhreire) 19, gooner até a alma e estudante de RI. Entusiasta do movimento contra o futebol moderno e segue firme e forte na busca pelo troféu de torcedor polêmico.

Imagens: Reprodução

Category: MarketingMercadoNegócios

Tags: