Atenção às oportunidades geradas por Ronaldinho Gaúcho

Ronaldinho Gaúcho aumentará, também, a importância dos adversários (Foto: UOL.com.br)

No giro de menos de uma semana, o Nova Iguaçu passou de R$ 1.600 negativos em arrecadação de bilheteria a um ativo de R$ 228.000. O primeiro número foi obtido numa partida em que o clube da Baixada Fluminense atuou como mandante; o segundo, quando o time de uniforme laranja foi o visitante. Mágica? Não: Ronaldinho Gaúcho. Como havíamos dito, a presença de uma grande estrela em campo é benéfica não só para o clube que a elencou, mas também para seus adversários. O Nova Iguaçu, adversário do Flamengo na estreia do pentacampeão mundial, não precisou de nenhum esforço, nem da vitória na partida, para maximizar seus ganhos: bastou entrar em campo.

Tudo tão simples que nos faz pensar em quais resultados o simpático clube fluminense alcançaria se houvesse, de fato, aproveitado a oportunidade, e adotado uma postura mais ativa de marketing e comunicação para se valorizar, ainda que pontualmente. Um exemplo simples: seu patrocinador máster de camisa, a empresa de cosméticos Niely, teve um incremento considerável de exposição (considerando transmissões e repercussão do evento) pelo mesmo valor mensal acordado para partidas “normais”; não seria, evidentemente, o caso de negociar aumentos em um contrato previamente acordado, mas, sim, de buscar novos parceiros. Além disso, os dias que antecederam o jogo poderiam ter sido decisivos para um bom trabalho de relações públicas, mostrando ao público, por exemplo, o grande trabalho que o Nova Iguaçu desenvolve junto à comunidade da Baixada Fluminense; ao invés disso, fizeram-se as comparações de sempre – “um mês de salário de Ronaldinho cobre ‘x’ meses da folha do rival” – que nada agregam à imagem do clube.

É certo que as noções de promoção que faltaram ao Nova Iguaçu, neste caso, são consequências, por um lado, de uma estrutura ainda em formação (a do clube), e, por outro, de uma mudança cultural que o futebol brasileiro atravessa em sua orientação para os negócios. Os erros, embora cometidos numa oportunidade única, são perdoáveis, e devem ser assimilados e evitados por outros clubes. Ronaldinho Gaúcho é uma marca poderosa, que gerará muitas outras oportunidades por onde passar. E é preciso que todos, independente de seu porte e/ou pretensões, estejam prontos para aproveitá-las com eficácia.

Thiago Zanetin (@th_dellascala) tem 25 anos e trabalha como redator publicitário na Babenko. Fanático seguidor do Hellas Verona, espera ansiosamente pelo dia em que as verdadeiras cores gialloblù da cidade voltarão a brilhar nas séries maiores.

Category: MercadoNegócios

Tags:

Comentários

  1. Mais uma das provas que comprovam o amadorismo do futebol brasileiro, em todas as suas camadas. Um clube como o Nova Iguaçu demorará muito, isso se tiver, para ter uma nova oportunidade de ter a mesma exposição que teve na última quarta. Não veremos a camisa laranja assim no futebol brasileiro, apesar da boa campanha da equipe a da possibilidade de chegar na próxima fase da taça gb.

    Grande abraço,
    @Lima_Nelsinho.

    vamosfalardeesportes.blogspot.com